Resenha: ''Divergente'' de Veronica Roth


Livro: Divergente
Autor (a): Veronica Roth
Editora: Rocco

Sinopse:

Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto.
A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é.
E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.

Via: Skoob


Resenha:

    A história gira em torno de Beatrice Prior, uma garota de 16 anos que esta prestes a escolher a facção que ela viverá. Ela tinha total certeza que seu irmão Caleb iria para Abnegação como seus pais mas ela não era altruísta o suficiente para acompanhá-los. 

    A Abnegação era a facção das pessoas boas, bondosas, generosas e altruístas. Eles sempre vestiam cinza, não queriam se destacar em nada e escondiam sua beleza. Foram apelidados de Caretas.

    A Audácia era das pessoas corajosas, desafiadoras e impulsivas (a maioria). Eles sempre vestiam preto, tinham tatuagens e piercings e quando iam à algum lugar usavam um trem, em quem subiam em movimento e saiam em movimento.

    A Amizade era das pessoas amantes da natureza, agricultura e paz. São alegres, extrovertidos e usavam cores fortes como amarelo e vermelho.

    A Erudição era das pessoas que valorizavam o conhecimento acima de tudo, que eram inteligentes e a maioria também arrogante. Usavam óculos sem nem mesmo ter problema de vista e vestiam roupas com pelo menos uma peça azul.

    E a Franqueza é das pessoas que valorizam o caráter, são cultas e ... totalmente sinceras. Usavam branco e preto e a maioria como era muito franca chegava até ser sem educação.

    No dia da Cerimônia de Iniciação, todas os adolescentes faziam um teste para ver em qual facção eram mais aptos o resultado de Tris era que ela era uma coisa que nunca ela ouviu falar: Divergente. Sim, Divergente, uma pessoa que tinha aptidão para três facções e com outras palavras, o teste de aptidão tinha dado errado. Na cerimônia ela escolheu a Audácia e logo no começo na hora de subir no trem em movimento ela já percebeu que passar na iniciação não seria fácil. 

    A iniciação para a Audácia continha fases que iam de  lutas até o enfrentamento dos próprios medos. O instrutor dos iniciados que eram transferidos de outras fracções era o misterioso Quatro. Nome estranho não? Ele era muito fechado, sem educação, assustador e arrogante. Ele deixava a Tris intrigada.

   O que acontece é que os outros iniciados começam a pegar pesado com a Tris porque ela é uma careta mas quando ela mostra para eles que seu lugar era na Audácia e que ela mais forte do que aparentava ser, seus reais problemas começam a aparecer.

    Tris é divergente. E isso indicava perigo. Os divergentes eram uma ameaça à paz de Chicago portanto ela tinha que tomar cuidado. Isso estava assustando-a.

    Mais tarde ela percebe que estava se sentindo atraída pelo lindo, sensual e frio Quatro e além dessas confusões da sua iniciação, Tris ainda tinha que aguentar as acusações de líder da Erudição Janine a sua antiga facção que acaba se tornando mais grave.

    Amei-o completamente! É super interessante, as facções e tudo mais e a autora soube maneirar: não havia ação demais, romance demais, drama demais... tudo tinha seu limite e o equilíbrio fez com que a leitura fosse melhor ainda.

     A protagonista Tris Prior é forte, corajosa, bondosa, inteligente e acabei criando um vínculo com ela. Admiro-a por sua personalidade única e admiro a autora por ter criado um universo fictício tão contagiante.

    Quatro conquistou um lugar no meu coração desde o  início do livro e esse espacinho dele nunca será ocupado por qualquer outo ''galã'' (kkk) de outras sagas.

    Antes de assistir o filme, eu os imaginava de outra forma, mas depois de assistir a fisionomia dos dois já ficou gravada na minha cabeça. É claro que o livro é mil vezes melhor que o filme e este teve o mesmo efeito que os filmes de Harry Potter e Jogos Vorazes tiveram: o livro é melhor mas estou super satisfeita com o filme.

Beijos meus leitores queridos!

Um comentário:

  1. Eu amo esse livro, mas to enrolando pra ler Convergente pq já sei o final
    Ótima resenha
    Beijos, Tabatha
    http://aproveiteolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Gostaram? Comentem!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...